Jovens desempregados podem ganhar auxílio de R$ 300 pagos pelo governo

0
Jovens desempregados podem ganhar auxílio de R$ 300 pagos pelo governo
Imagem de 1820796 por Pixabay
Governo federal pode criar benefício para jovens nem-nem. Nessa semana, o Ministério da Economia informou estar trabalhando para validar um novo programa de extensão de renda. Intitulado de Bônus de Inclusão Produtiva (BIP), o projeto terá como público alvo trabalhadores informais e estudantes que estão fora da rede de ensino e sem emprego. Entenda.

Enquanto concede as mensalidades do auxílio emergencial, o governo federal parece estar trabalho para a validação de um novo projeto social.

De acordo com fontes internas do ministério da economia, há uma pasta objetivando liberar mensalidades entre R$ 200 e R$ 300 para os jovens ‘nem-nem’, aqueles que estão fora da escola e do mercado de trabalho.

Detalhes do programa

Até o momento seu texto não foi publicamente divulgado, mas o que se sabe é o interesse de conceder um auxílio financeiro intitulado de BIP. Os trabalhadores informais seriam os únicos contemplados, mas os jovens passaram a entrar na folha orçamentária, ganhando a possibilidade de inclusão no mercado de trabalho.

As informações já divulgadas garantem que as mensalidades de R$ 300 serão destinadas para a realização de cursos técnicos de modo que incentivem os jovens a terem empregos.

As empresas passariam a ofertar modalidades, como um estágio, garantindo que os contemplados passassem a atuar como profissionais.

Números dos jovens nem-nem no Brasil

Com a pandemia do novo coronavírus, o número de jovens fora das escolas e do mercado de trabalho foi amplificado.

De acordo com a última análise de dados, realizada entre 2012 e 2020, havia uma queda considerável nos índices de nem-nem. Porém as estatísticas passaram a subir ao longo dos últimos meses. No fim de 2020, 25% das pessoas entre 15 e 29 anos não estudavam e nem trabalhava.

Para muitos especialistas, parte significativa desse cálculo deve-se ao fato do fechamento das escolas públicas.

Em parte significativa dos estados nacionais, a rede de ensino municipal e estadual parou de funcionar mediante as medidas de distanciamento social e isolamento para contenção da covid-19.

Há ainda outro grupo que sem aula e precisando ajudar os familiares, passou a trabalhar informalmente, ficando fora dos registros do mercado de trabalho.

Fonte: FDR/Eduarda Andrade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui