Tech Zone

Brasileiro morto na guerra da Ucrânia morava no Ceará e terá cinzas jogadas em Quixadá

Brasileiro morto na guerra da Ucrânia morava no Ceará e terá cinzas jogadas em Quixadá
Foto: Reprodução

Brasileiro morto na guerra da Ucrânia morava no Ceará e terá cinzas jogadas em Quixadá, André Hack Bahi tinha 44 anos e saiu do interior do Ceará em fevereiro para trabalhar na Legião Internacional de Defesa ucraniana.

Após ser dado como desaparecido, o brasileiro André Luís Hack Bahi, 44, teve a morte confirmada na guerra da Ucrânia.

O gaúcho que morava em Quixadá, no Sertão do Ceará, saiu da cidade em fevereiro para atuar na Legião Internacional de Defesa da Ucrânia contra a Rússia.

O falecimento foi confirmado pelo Ministério das Relações Exteriores e pela irmã de André, Letícia Hack Bahi, nesta quinta-feira (9). Conforme ela informou ao G1, as cinzas do gaúcho serão espalhadas em Quixadá

“Nós decidimos que, para Porto Alegre, a gente não vai querer que ele venha. Nós vamos deixar as cinzas dele lá, um lugar maravilhoso [Quixadá] que ele se apaixonou”, comentou Letícia Hack Bahi ao G1. 

André deixa sete filhos, com quem constantemente postava registros nas redes sociais na cidade cearense. Segundo a irmã, ele estava separado da esposa.

A notícia da morte foi dada pela Embaixada do Brasil em Kiev, capital ucraniana. O Itamarty informou que “mantém contato com familiares para prestar-lhes toda a assistência cabível, em conformidade com os tratados internacionais vigentes e com a legislação local”. 

“Assim como tem feito desde o começo do conflito, o Itamaraty continua a desaconselhar enfaticamente deslocamentos de brasileiros à Ucrânia, enquanto não houver condições de segurança suficientes no país”, diz a nota. 

 

 

Fonte: Diário do Nordeste

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Prefeitura de Jatobá