Tech Zone

Moeda comum de 10 centavos vale até R$ 250

Moeda comum de 10 centavos vale até R$ 250
Moeda comum de 10 centavos vale até R$ 250

Moeda comum de 10 centavos vale até R$ 250! Muito provavelmente, ninguém torce para encontrar moedas de 10 centavos na carteira ou no fundo da gaveta.

As pessoas gostariam de achar itens mais valiosos, como uma cédula de 50 ou 100 reais. O problema é que é bem mais fácil esquecer alguns centavos do que muitos reais na carteira ou no bolso.

Embora as moedas de 10 centavos não façam muito sucesso no Brasil, sendo vistas apenas como itens de troco, a realidade pode ser bastante diferente para alguns brasileiros, pelo menos se eles tiverem os itens procurados pelos colecionadores.

Numismática ganha espaço no país

A saber, as pessoas que estudam cédulas, moedas e medalhas sob o ponto de vista histórico, artístico e econômico, recebem o nome de numismatas. Além disso, o nome também é utilizado muitas vezes para designar o ato de colecionar estes itens, ou seja, os colecionadores são chamados de numismatas.

Neste texto, você vai conhecer uma moeda de 10 centavos que vale até R$ 250. Estes modelos não costumam fazer muito sucesso no Brasil, já que as pessoas geralmente os utilizam apenas para passar troco, visto que não há praticamente nada no país que se possa comprar ou adquirir com esse valor.

No entanto, algumas moedas de 10 centavos podem valer muito dinheiro em um mundo específico, o da numismática. Na verdade, existem muitas pessoas dispostas a pagarem caro por moedas que possuam algumas características que as tornam únicas e raras, mesmo que tenham um valor facial baixo.

Casa da Moeda fabrica o dinheiro no Brasil

No Brasil, o Banco Central faz os pedidos de fabricação do dinheiro à Casa da Moeda, conforme necessidade. Em resumo, os itens são padronizados e idênticos, já que todas as imagens, formatos e tamanhos são iguais e específicos para cada valor facial.

Contudo, os exemplares nem sempre saem como planejado e alguns acabam apresentando erros ou defeitos de fabricação. Isso até poderia fazê-los valer menos, já que não foram perfeitamente produzidos, mas o que acontece é justamente o contrário, e as características que os tornam únicos elevam significativamente o seu valor.

Você também pode gostar:

Foi isso o que aconteceu com uma moeda de 10 centavos, fabricada em 1999, que teve o seu valor elevado em até 2.500 vezes. Em suma, o item não apresenta qualquer falha, característica que costuma elevar o seu valor. Isso quer dizer que o modelo é comum, mas a sua baixa tiragem elevou significativamente o seu valor no país.

Conheça a moeda de 10 centavos que vale até R$ 250

Nos últimos tempos, uma moeda de 10 centavos vem mexendo com o imaginário dos numismatas. Trata-se de um exemplar fabricado há mais de duas décadas, em 1999, e sua fama cresce com o tempo devido à dificuldade de encontrá-lo.

Aliás, confira abaixo as menores tiragens anuais de moedas de 10 centavos da 2ª família do real:

  • 1999: 9,62 milhões;
  • 2000: 26,88 milhões;
  • 2014: 126,53 milhões;
  • 2001: 134,70 milhões;
  • 1998: 141,54 milhões.

Como visto, a Casa da Moeda fabricou menos de 10 milhões de moedas de 10 centavos em 1999. O número é quase três vezes menor que a segunda menor tiragem anual, observada em 2000. Inclusive, estas foram as únicas ocasiões cuja tiragem não superou a marca de 100 milhões em um ano.

Exemplo de moeda de 10 centavos de 1999
Exemplo de moeda de 10 centavos de 1999. Imagem: Reprodução/YouTube.

Estado de conservação influencia valor dos itens

As moedas recebem algumas classificações quanto ao seu estado de conservação. O primeiro termo se chama flor de cunho, que se refere aos exemplares que não circularam, ou seja, não apresentam qualquer sinal de desgaste ou manuseio. Em outras palavras, são moedas que não possuem marcas e estão em perfeito estado de conservação.

Por sua vez, o estado de soberba se refere às moedas que apresentam, aproximadamente, 90% dos detalhes da cunhagem original. Em síntese, os exemplares que tiveram uma pequena circulação se enquadram neste segmento.

Já a moeda muito bem conservada (MBC) se caracteriza por ter mais sinais de manuseio e uso. Os itens devem apresentar, aproximadamente, 70% dos detalhes da cunhagem original. Além disso, o seu nível de desgaste deve ser homogêneo, sem ter um local bem mais desgastado que outro.

De acordo com especialistas, as pessoas devem manter as moedas armazenadas em saquinhos plásticos ou papel filme e não devem manuseá-las com as mãos nuas. O mais indicado é utilizar uma luva para que não haja desgaste do material, até porque as moedas que mantêm suas formas originais costumam valer bem mais que os modelos mais gastos.

Por fim, os interessados em vender seus exemplares podem entrar em sites especializados. Existem diversas formas para vender moedas raras, como lojas especializadas e leilões, bem como grupos de Facebook e marketplaces online, isso sem contar na venda direta para colecionadores.

Via Notícias Concursos

Portal Jatobá

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Prefeitura de Jatobá