Tech Zone

Conta de luz vai aumentar? Aneel anuncia bandeira tarifária de fevereiro

Conta de luz vai aumentar? Aneel anuncia bandeira tarifária de fevereiro
Divulgação

Conta de luz vai aumentar? Aneel anuncia bandeira tarifária de fevereiro – Com o mês de janeiro chegando ao fim e fevereiro prestes a começar, milhões de consumidores brasileiros já ficam de olho nas próximas contas a serem pagas, entre elas a de energia elétrica.

Recentemente, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou se a da conta de luz aumentará ou não para fevereiro.

Vale lembrar que além de determinar as bandeiras tarifárias, também cabe à Aneel a regulamentação de todo o setor de energia elétrica do país, o desenvolvimento de novas matrizes energéticas, entre outras funções.

Conta de energia para fevereiro: bandeira verde

Segundo a Aneel, para o mês de fevereiro vigorará a bandeira verde. Ou seja, as contas de luz não terão valores extras acrescidos. O consumidor só pagará o que consumiu e as taxas e impostos que já fazem parte normalmente da tarifa.

O Brasil irá para o seu décimo mês seguido com bandeira verde na conta de luz. As chuvas no verão brasileiro estão contribuindo para manterem os reservatórios das hidrelétricas cheios, fazendo com que a energia chegue mais barata ao consumidor final.

Como funcionam as bandeiras tarifárias

Como a maior parte da energia elétrica do país é proveniente de hidrelétricas, o preço da energia no Brasil depende do volume de chuvas. Caso os reservatórios estejam cheios, as hidrelétricas conseguem produzir energia suficiente para abastecer o sistema.

Contudo, caso isso não ocorra, o governo federal é obrigado a acionar as termoelétricas que produzem energia de forma mais cara. Assim, com o objetivo de fazer com que o consumidor economize energia elétrica nos períodos de seca para evitar o acionamento das termoelétricas, foram criadas as bandeiras tarifárias.

Desde o ano de 2015, as contas de luz possuem quatro tipos de bandeira. A verde indica que nenhuma tarifa extra será cobrada. Já a amarela é imposta quando os reservatórios já não estão tão cheios.

No caso, ela cobra R$ 2,989 a mais para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumido.

Em seguida, aplica-se as bandeiras vermelhas, com os patamares 1 e 2. A bandeira vermelha com patamar 2 designa a situação mais crítica e, por isso, custo extra é de R$ 9,795 a cada 100 quilowatts-hora.

Entre os meses setembro de 2021 e abril de 2022, uma bandeira extra foi incluída de forma provisória. Denominada de bandeira de escassez hídrica, ela foi imposta devido a uma grande seca no país.

Com o objetivo de reduzir o consumo das pessoas o governo federal impôs uma taxa de R$ 14,20 extras a cada 100 kWh utilizados.

Vale lembrar que as bandeiras só são válidas para o Sistema Interligado Nacional (SIN), que cobre 99% dos consumidores do Brasil.

O restante, cerca de 1% não faz parte do SIN geralmente por conta de os locais serem mais distantes, como por exemplo, o arquipélago de Fernando de Noronha.

Energia poderá ser paga via Pix

A Aneel também anunciou em janeiro uma novidade nas contas de luz. Os pagamentos da fatura poderão ser feitos por meio do Pix, no formato de QR Code.

A Aneel justificou a decisão por meio de um relatório feito por Ricardo Tili, diretor da autarquia, alegando que o Pix traz mais uma opção ao consumidor. “O Pix veio para modernizar o sistema de pagamento no Brasil e o sistema elétrico não poderia ficar fora disso”, escreveu.

A resolução já está em vigor e deverá ser cumprida pelas distribuidoras no prazo de 120 dias. Algumas empresas já aderiram a novidade antes mesmo dela se tornar uma obrigação.

Fonte: Concursos no Brasil

Portal Jatobá

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Prefeitura de Jatobá